Se não quiser ouvir a música clique aqui:

Se planejar para um ano,
plante arroz...
Se planejar para dez anos,
plante uma árvore, mas...
Se planejar para 100 anos:
Eduque as pessoas!

Provérbio Chines

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Como não ser "levada" para passear por seu cão...

Bom, o Bóris o super simpático Pit bull de casa, não costuma ser tão simpático para passear.
Todos meus outros cães são extremamente obedientes, mesmo o  mais autoritário Yoshi, se rende aos meus encantos (rs) porém, o Bóris não.

Literalmente, desde que chegou, é impossível domá-lo nos passeios.

Tentamos:
Diferentes  tipos de coleira (e remédios para dores musculares, no meu caso, claro!);
Passeio sozinho;
Passeio com a matilha;
Eu conduzindo, marido conduzindo...ele mesmo conduzindo!
Técnicas vistas em livros, revistas, pesquisas na net...enfim.

O fato é que, em casa ele simplesmente faz exatamente o que deveria fazer na rua. Mas, quando estamos na rua ele se tranforma. Seu instinto não é agressivo mas, ancioso...então ele realmente 'grita' quando vê outros cães, puxa de todas formas e para todos os lados possíveis e, não nos ouve quando o repreendemos.

Já tive 5 cães. Todos os outros sempre responderam da mesma forma as 'regras' básicas de passeio mas, o Bóris não.

Tendo isso em vista e, depois do espetáculo protagonizado por ele na última visita ao veterinário em que ele colocou, o Dr., os outros cães, eu e meu esposo, TODOS,  de orelhas em pé com seus grunidos, latidos, puxões e sopapos...Novamente fiz um busca de formas de treiná-lo ao passeio.

Então, se funcionar com vocês, me avisem ok?

1° Não utilize enforcadores (principalmente aqueles com pinos na parte interna). Até que seu animal entenda como passear, provavelmente irá se machucar e a vc também! Evite as coleiras peitorais na fase de treinamento pois, o ato de puxá-lo no sentido contrário estimula o cão á tração e, carregá-lo pela rua. Uma boa coleira que comprei, que dá maior segurança em controlá-lo e tem um fundamento etológico é a Gentle Leader.
Mas, uma coisa é fato. Não importa a coleira que você use, o que determinará o sucesso em treiná-lo será seu empenho e paciência.
2° Gaste a energia de seu cão antes do passeio. Brinque com ele jogando bolinhas, brinquedos para ele gastar um pouco de sua energia e, assim, focar mais em seus comandos.
3° Tente acostumá-lo a colocar a coleira sem muito alarde, festa. Isto excita demais o animal e, depois de seu nível de excitação no máximo é muito mais dificil retomar sua atenção para o exercício em si. Se possível, após colocar a coleira, deixe-o em seu lugar de costume, retome suas atividades e quando ele relaxar, então coloque a guia e saia para o passeio. Não recomendo assim que colocar a coleira começar com o exercício de cansá-lo pois, ele vai entender que coleira é sinal de brincadeira...e necessáriamente neste momento, é treino.
4° Ofereça água antes e durante o passeio, acostumando-o com "uma pausa" durante o percurso, assim se você precisar parar por qualquer motivo, ele não ficará puxando para continuarem a caminhar.
5° Para os primeiros passeios durante o treinamento, procure um local ou horário em que sejam mínimas as distrações. Não dá pra passear em um parque, no domingo de sol as 10h da manhã neste momento. Alguns treinadores recomendam treinar em casa primeiro porém, como descrevi anteriormente no meu caso, de nada adiantou. Acredito que, pela lógica, a casa é um local que não desafia o cão onde, o principal centro de atenção é o dono. Ele irá naturalmente responder de forma mais tranquila do que se receber outros estímulos. Portanto, começe em um local calmo porém diferente do habitual.
6° Tenha paciência. Entenda que o treinamento é baseado no exercício e tem fundamento no erro e acerto. Não será por milagre que você e seu cão entrarão em sintonia e, alguns precisam de mais tempo e exercício para entender e aprender, assim como nós.
7° Se o cão puxar a guia, interrompa o passeio. Segure com firmeza a guia junto ao seu corpo e, começe a andar em linha reta. Se ele caminhar sem puxar, recompense-o (petisco ou mesmo um afago, porém, se você costuma acariciá-lo por tudo...isto não funcionará). Se ele começar a puxar, pare e permaneça imóvel sem contato visual e nenhuma comunicação com ele. Assim  que afrouxar a guia, recomeçe o passeio. Repita este processo aé ele compreender que se puxar, o passeio será interrompido.
8° Segure a guia com frmeza junto ao seu corpo e agora que ele está te seguindo em linha reta, mude a rota do passeio. Se o cão puxar a guia, mude a direção. Ande em linha reta, ocasionalmente o recompense se ele não puxar e, caso ele puxe, mude de direção. Esta ação requer bastante atenção por parte do condutor pois, antes dele puxar realmente, quando se projetar além do limite imposto pelo seu corpo e a guia não estiver totalmente esticada você terá de mudar de direção bruscamente. Com a repetição o cão entenderá que, caso ele puxe, o passeio muda de direção. Repita este processo até que ele entenda.

Esta técnica é baseada na compreensão da guia como extensão de seu braço e seu limite. Além de que ele deverá sempre ser conduzido como acompanhante, ou seja, você indica o caminho.
Durante o passeio, permita que ele fareje, tornando o passeio agradável à ele. Independente do lado em que ele caminhar, se na sua frente ou atrás de você, ele não poderá puxá-lo.

Se seu objetivo é mantê-lo sempre ao seu lado, escolha-o e não permita, usando esta técnica, que ele mude de lado durante o passeio e mantenha-o sempre próximo a sua perna.

Espero que vocês tenham sucesso aplicando estas técnicas...eu vou tentando daqui!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Falando em Meio Ambiente:

Música é a expressão da Alma!